07/10/2008

IPC-FIPE de setembro é o mesmo de agosto: 0,38%

O IPC-FIPE (Índice de Preços ao Consumidor) de setembro, divulgado na última sexta-feira, 3, apontou uma inflação de 0,38% na cidade de São Paulo. O valor é o mesmo do acumulado de agosto, quando o índice atingiu sua menor variação positiva desde março (0,31%). Até o momento, a inflação mensal mais alta do ano foi a de maio: 1,23%.

O índice fechado de setembro foi menor que a taxa de 0,44% apurada na terceira quadrissemana de agosto e está dentro da previsão feita pelo coordenador da pesquisa da FIPE, professor Antonio Evaldo Comune – para quem a inflação acumulada de setembro ficaria entre 0,35% e 0,40%.
 
Para o ano de 2008, a previsão da inflação na cidade de São Paulo permanece inalterada: entre 6,35% e 6,40%.
  
Assim como em agosto, o grupo Habitação foi o que mais pesou para cima no resultado do índice, com variação positiva de 0,72%. Porém, mostrou uma desaceleração em relação aos 1,03% medidos no acumulado de  agosto e os 0,97% da terceira prévia de setembro.

Despesas pessoais registraram uma variação positiva de 0,81%, superior à registrada no mês anterior, que foi 0,75%, porém inferior aos 0,98% da terceira quadrissemana de setembro. Este aumento também já estava dentro do esperado, assim como já era previsto que o item cigarros seria um dos responsáveis pela elevação, com variação positiva de 2,60%.

Como nas semanas anteriores, os alimentos vêm puxando o índice para baixo, embora a deflação tenha sido menor em setembro do que em agosto: -0,32% ante -0,47%. Os cinco itens que tiveram reduções de preços mais significativas foram: batata (-10,27%), tomate (-9,81%), cebola (-8,75%), leite longa vida (-6,52%), queijo mussarela (-4,82%) e óleo de soja (-4,50%).

Os outros quatro grupos que compõem o IPC-FIPE apresentaram os seguintes resultados em setembro: Transportes (0,27%); Saúde (0,58%); Vestuário (0,58%) e Educação (0,08%).

Metodologia

O cálculo do IPC-FIPE é feito da seguinte forma: o período de coleta é diário e semanalmente ocorrem divulgações prévias, chamadas variações quadrissemanais, que comparam os preços médios das últimas quatro semanas apuradas com os das quatro semanas imediatamente anteriores.

Para o cálculo de cada nova taxa quadrissemanal, são incluídos os preços coletados na última semana e descartam-se os preços da semana mais antiga. Semanalmente, o coordenador do IPC-Fipe divulga à imprensa o resultado do índice de variação do custo de vida das famílias com renda  entre 1 e 20 salários mínimos, residentes no município de São Paulo.

Para servir de base ao cálculo das variações quadrissemanais, é feita uma amostra mensal de cerca de 90 mil tomadas de preços, que é subdividida em quatro sub-amostras, cada uma delas com pesquisas em um período de no mínimo 7 e no máximo 8 dias (a semana de coleta).

A FIPE também calcula índices de preços para outras cidades, em parceria com faculdades e prefeituras locais de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, em São Paulo.



VOLTAR